10 Motivos para consumir leite e derivados

Bookmark and Share

Você sabia que, além do famoso cálcio, o leite tem uma série de vitaminas e minerais essenciais ao organismo?

De acordo com o NutrientRichFoods (NRF) Index, o leite pode ser considerado um alimento de elevada "densidade nutritiva" - grande concentração de nutrientes em relação ao seu teor calórico. Ou seja, em cada ml de leite há uma quantidade maior de nutrientes do que calorias. Confira a seguir os nutrientes encontrados no leite e derivados.

A nutricionista Beatriz Botéquio apresenta os benefícios do leite de A a Z:

Vitamina A - vitamina A, que atua na visão e no crescimento das células;

Vitaminas do Complexo B - atuam no metabolismo energético

Cálcio - é o principal nutriente para a saúde óssea, sendo que 70% do cálcio alimentar é proveniente do leite e seus derivados. Cada 100 ml de leite proporciona 120mg de cálcio, enquanto 100g de vegetais verdes escuros e legumes oferecem em média apenas 35mg de cálcio.

Carboidrato - O carboidrato do leite, que é a lactose, tem a importante missão de contribuir para o aumento da absorção do cálcio, do magnésio e do fósforo pelo intestino, função esta que se difere da maioria dos carboidratos que é a de conferir energia.

Fósforo - atua em conjunto com o cálcio na formação dos ossos e dentes para manter a integridade do esqueleto e ajudar a formação e fortalecimento do esmalte dos dentes. Essencial a todas as células, pois as protege fortalecendo suas membranas.

Gorduras - Uma das principais funções nutricionais das gorduras presentes em leite e derivados é levar para o organismo as vitaminas A e D, além da E e K, por serem vitaminas lipossolúveis. O leite de vaca possui ainda como fonte natural um isômero conhecido como ácido linoleico conjugado (CLA), que vem sendo associado a benefícios à saúde, como a melhora da condição cardiovascular e do sistema imunológico, além de potencial efeito anticancerígeno e hipolipemiante, ou seja, ajudam a reduzir as gorduras do sangue, especialmente o colesterol, além de reduzir a gordura abdominal (BENJAMIN et al., 2009). Estudos indicam que os lácteos compreendem 70% da quantidade de CLA consumido diariamente (RITZENTHALER et al.,2001; FAO, 2013).

A quantidade de gordura presente em leite e derivados varia conforme o tipo de leite.  De acordo com a legislação, os leites fluídos são classificados em três tipos:

Integral: contêm no mínimo 3 % de gorduras.

Leite semidesnatado: pode conter 0,6 % a 2,9% de gorduras.

Desnatado: deve conter no máximo 0,5 % de gorduras.

Magnésio - participa de diversas funções das células, incluindo participação no metabolismo de energia.

Proteína - Dentre os nutrientes, a proteína do leite é considerada de grau máximo de qualidade pela Organização Mundial da Saúde. Isso porque apresenta uma proteína de alto valor biológico, contemplando todos os aminoácidos (os blocos para construção das proteínas) essenciais, ou seja, aqueles que nosso organismo não consegue sintetizar por conta própria, em quantidades adequadas para suprir às necessidades do homem, que possuem boa digestibilidade e biodisponibilidade.

Selênio - antioxidante que auxilia o corpo no combate de radicais livres.

Zinco - atua na formação de enzimas e também como antioxidante que auxilia o organismo a combater o envelhecimento das células.

A Organização Mundial da Saúde e a Pirâmide Alimentar adaptada à população brasileira que orientam o consumo de 3 porções de lácteos por dia. Um copo de 200 ml representa uma porção de lácteos.

Fonte: nutricionista Beatriz Botéquio