SONO É FUNDAMENTAL PARA O RENDIMENTO NO TRABALHO

Bookmark and Share

Dormir bem restabelece as energias gastas durante o dia e estimula a memória. O contrário, entretanto, pode levar ao mau humor e a predisposição a doenças.

 

 

O sono de qualidade é fundamental para manter a produtividade. E quando se trata do trabalho, isso se torna ainda mais relevante, afinal, realizar uma infinidade de tarefas com sono diminui o rendimento e pode levar o profissional a cometer erros ou, até mesmo, sofrer acidentes. Mas, será que a população tem dormido corretamente? Ou será que o trabalho vem tirando o sono de muitos indivíduos?

 

Segundo pesquisa recente da International Stress Management Association (Isma-BR), a média da jornada de trabalho de executivos tem sido de 13 horas. Em comparação aos dados de 2010, essa jornada teve um aumento de três horas. Os motivos, certamente, são as intensas cobranças, a agenda caótica, a sobrecarga de trabalho, o gradativo acúmulo de funções e o acirramento da competitividade. Tudo isso, consequentemente, afeta a hora de dormir e acordar.

 

De acordo com a Consultora do Sono da Duoflex, Renata Federighi, a redução do tempo ou a privação de sono produzem efeitos danosos ao organismo, incluindo prejuízos cognitivos, mau humor, aumento de irritabilidade e da liberação dos hormônios cortisol e ACTH, gerando ainda mais stress. “Dormir pouco também aumenta o risco de doenças, porque o sistema imunológico precisa de descanso para responder às ameaças com eficiência. Doenças como obesidade, diabetes e hipertensão podem ser desencadeadas pela falta de sono em longo prazo. Em curto prazo, esta privação prejudica a capacidade de concentração, a tomada de decisões, aumenta a ansiedade, o cansaço e a irritação”, explica.

 

Pessoas que dormem com a postura errada também acabam comprometendo a qualidade do sono e, consequentemente, poderão apresentar sinais de cansaço, agitação, ter seu rendimento diário comprometido e ainda, agravar processos como contraturas, osteoporose e má circulação. Para um descanso com mais qualidade é importante reavaliar os hábitos, principalmente aqueles que são relacionados ao sono. Sendo assim, manter a posição correta de descanso é um cuidado que pode evitar problemas mais sérios na coluna cervical. “O ideal é manter a coluna sempre alinhada com o tronco, a fim de melhorar a circulação sanguínea e facilitar os estímulos elétricos enviados pelo cérebro aos demais órgãos do corpo. Para dormir, a posição mais indicada é a de lado, sendo aconselhável sempre utilizar dois travesseiros: um para apoio da cabeça, em uma altura que se encaixe perfeitamente entre ela e o colchão, formando assim, um ângulo de 90 graus no pescoço. O outro deve ser usado entre os joelhos, que deverão estar preferencialmente semiflexionados”, explica Renata.

 

FUNCIONANDO 24 HORAS POR DIA

 

Sabemos que a sociedade nos impõe uma restrição crônica onde diariamente somos privados de dormir a quantidade de horas ideal para o nosso organismo se sentir descansado. Nos Estados Unidos, por exemplo, há um termo bastante utilizado para comprovar esse acontecimento, mostrando que cada vez mais, estamos dormindo menos. É o chamado 24 por 7, ou seja, 24 horas funcionado, sem parar, nos 7 dias da semana. “Parece surpreendente, mas somos nós os grandes culpados dessa privação, pois cada vez mais encaixamos tarefas no nosso dia-a-dia. Por exemplo, a que horas vamos ao supermercado depois de trabalhar sucessivas horas? Resta a madrugada, afinal, muitos supermercados funcionam 24 horas. E quem paga por isso? Certamente, o nosso sono e a nossa saúde”, alerta a consultora.